Uma Igreja Pobre, para os Pobres

26 de junho de 2017

images (3)

“Como eu gostaria de uma Igreja pobre, para os pobres”, afirmou o Papa Francisco poucos dias depois de sua eleição a centenas de jornalistas de todo o mundo recebidos em audiência no Vaticano. As palavras do Papa Francisco revivem a mensagem radiofônica de João XXIII na qual, cerca de um mês antes da abertura do Concílio Vaticano II, afirmou: “a Igreja se apresenta e quer realmente ser a Igreja de todos, em particular, a Igreja dos pobres”.

 

Durante o Concílio, em resposta à proclamação de João XXIII, um significativo grupo de bispos, entre os quais se encontravam dom Helder Camara, constituiu o movimento “Igreja dos Pobres”. Ao final do Concílio, em 16 de novembro de 1965, este grupo celebrou uma missa na Catacumba de Santa Domitila, em Roma, e firmou o documento que se tornou conhecido como “Pacto das Catacumbas por uma Igreja Serva e Pobre”. Entre outros compromissos, os signatários afirmavam: “Procuraremos viver segundo o modo ordinário da nossa população, no que concerne à habitação, à alimentação, aos meios de locomoção e a tudo que daí se segue. Para sempre renunciamos à aparência e à realidade da riqueza, especialmente no traje (fazendas ricas, cores berrantes), nas insígnias de matéria preciosa (devem esses signos ser, com efeito, evangélicos). Nem ouro nem prata.”

Os Bispos Latino-Americanos reunidos em Medellín em 1968 proclamaram um documento de vital importância para a Igreja Católica na América Latina, onde assumiram a chamada “opção pelos pobres”, que depois será reafirmada nas Conferências de Puebla (1979), Santo Domingo (1992) e Aparecida (2007). O número XIV do Documento de Medellín intitula-se “Pobreza da Igreja” e nele se faz a recepção dos principais pontos do “Pacto das Catacumbas”.

É em profunda sintonia com as posições de Mendellín que Bergoglio exerce o seu ministério episcopal em Buenos Aires. Vive de forma austera, usa os meios de transporte comuns, vai ao encontro dos pobres, estimula seus padres para que se dirijam à periferia. Eleito Papa, mantém os mesmos compromissos. Exorta a Igreja a ir à periferia do mundo e aos pastores a terem um estilo de vida austero como sinal do compromisso evangélico. Os pobres ocupam uma posição central em seu ministério.

Sua primeira viagem para fora de Roma foi a Lampedusa, o ponto mais meridional da Europa, lugar onde chegam por barco os refugiados que, fugindo da opressão e da pobreza, buscam abrigo e uma vida mais digna. Existem hoje na Europa fortes sentimentos contra os migrantes e refugiados. Em meio à fuga para a Europa, muitos morrem no mar sem chegar a Lampedusa. Em sua profética homilia, o Papa Francisco afirmou: “Quem de nós chorou por este fato e por fatos como este? Quem chorou pela morte destes irmãos e irmãs? Quem chorou por estas pessoas que vinham no barco?… Somos uma sociedade que esqueceu a experiência de chorar, de ‘padecer com’: a globalização da indiferença tirou-nos a capacidade de chorar! … peçamos ao Senhor a graça de chorar pela nossa indiferença, de chorar pela crueldade que há no mundo, em nós, incluindo aqueles que, no anonimato, tomam decisões socioeconômicas que abrem a estrada aos dramas como este. ‘Quem chorou?’ Quem chorou hoje no mundo?”

images_7

Uma Igreja pobre, para os pobres. Papa Francisco nos convoca a viver o Evangelho na solidariedade concreta com o pobre, indo ao seu encontro, sabendo que neles se encontra o próprio Cristo. Como o Samaritano da parábola de Jesus, que nós sejamos capazes de sentir compaixão pelos excluídos, empobrecidos e explorados, vencendo a globalização da indiferença, construindo novas estruturas econômico sociais que não tenham apenas o lucro como objetivo, mas sim o bem viver e o bem-estar de todos, hoje e no futuro.

PAULO FERNANDO CARNEIRO DE ANDRADE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: