Cura e Ferida

Quarta feira, 12 de abril de 2017

arezzo_120417

Somos convocados a viver em harmonia com o cosmo. Há milênios civilizações de diferentes épocas apregoam a importância da relação do ser humano com o todo (universo), desde as mínimas criaturas ou as coisas aparentemente insignificantes, denominadas o Microcosmo, até as maiores chamado o Macrocosmo. É uma relação de dependência, ou melhor, de co-dependência, de harmonia. Essa co-relação ou co-dependência está bem impregnada e registrada nos textos sagrados dos cristãos quando Paulo fala simbolicamente da dependência e relação entre os membros do corpo. No sentido de que a mão jamais pode dizer ao braço que não precisa dele e vice-versa. É dependência vital, ou seja, a vida de um depende do outro.

Em termos de relações humanas, isso se dá o tempo todo, especialmente quando se trata do fenômeno de ferida ou de cura. Geralmente, achamos que quando ferimos alguém isso em nada nos fere. Ou que ao ajudar no processo de cura de uma pessoa isso em nada nos diz respeito. Curar e ferir são dois fenômenos que dizem respeito a cada um e a todos. Quando firo alguém é porque já estou ferido. Se estivesse bem comigo mesmo jamais feriria o outro, pois não faz parte do estar com saúde querer ferir-se para ficar ferido. E ao ficar ferido ferir o outro achando que ficará imune a esse ferimento.

Do mesmo modo, a ação de curar, que na língua latina tem o sentido de cuidar, refere-se ao cuidar de si. Quem cuida de si jamais deseja ferir alguém, visto que desejar ferir alguém já é descuido (des+cuido) de si. É já um sintoma de estar fora do cuidado ou da cura. Quem por sua vez está no cuidado, na cura, automaticamente leva aos outros os benefícios da cura e do próprio cuidado.

Com outras palavras, ninguém dá o que não tem. Ou ainda, só dá o que se tem. Quem está na cura ora é expressão de cuidado e leva cuidado por onde passa. Quem está ferido é expressão de sua ferida e leva ferimento por onde anda. Será que não está nessa linguagem e verdade a expressão de Jesus quando afirma que não veio curar os sãos, mas os enfermos? Ele que era expressão da cura e do cuidado, levava o que era e o que tinha a todos, sem exceção. E todos os que tinham contato com Ele, ou que o tocavam, ficavam curados.

O Mundo atual pode estar muito ferido e cheio de pessoas feridas. Mas, assim como ele se feriu, pode também se curar, pois tanto a ferida como a cura está nas mãos, ou melhor, no coração de cada um. Só depende de como cada um quer viver, ferido ou curado.

Bom Dia! Bom trabalho!

Reflexão feita por Jose Irineu Nenevê

Links:
Facebook: http://www.facebook.com/bomdiaebomtrabalho
twitter: http://twitter.com/irineuneneve
Blog: https://bomdiaebomtrabalho.wordpress.com/
Leia o Livro: BOM DIA E BOM TRABALHO, sabedoria para todos os dias. Ed VOZES.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: