O problema da Intolerância

fb_img_1481142387405

Lamentavelmente, estes dias fui surpreendido por uma constatação. Há algum tempo, entendia que o problema da Intolerância se dava entre os grupos diferentes. Pensava que algumas denominações Cristãs hostilizavam grupos externos como as religiões de Matriz Africana, entre outros.

Para minha surpresa, vejo que a intolerância acontece dentro do próprio seio da Igreja. Dei uma olhada nos comentários dos textos de nosso blog e vi que uma postagem sobre o “anel de tucum” provocou reações espantosas, de tão agressivas, a respeito do Conteúdo. Chegaram a chamar de ideologia satanista.

Toda vez que se fala de CEBs, Anel de Tucum, Teologia da Libertação, muitos vêm, de forma agressiva, contestar em nome da “Santa Igreja”, do “Santo Padre”, da Sagrada Doutrina. Acreditar que uma Teologia não seja apropriada é algo normal. Fazer disso motivo de brigas internas não é Cristão.

O que mais me espanta são os argumentos. Dizem que o Santo Padre disse. Que é posição oficial da Igreja. Todavia, não há documento nenhum da Santa Sé que justifique ou comprove tais informações. Nunca o Vaticano afirmou que a Teologia da Libertação é heresia ou doutrina satânica. O que houve foi uma desaprovação a alguns dos pontos defendidos por ela. Sobretudo pela leitura excessivamente pautada no Jesus Histórico. Além de alguns autores defenderem uma dissolução da estrutura hierárquica da Igreja (eclesiologia). Outrossim, a Opção Preferencial pelos Pobres não só ainda vigora para a Santa Sé, assim como, é uma das diretrizes da CNBB.

Essa semana, manifestamos nossa alegria pelo aniversário de Leonardo Boff e isto foi motivo de inúmeros comentários intolerantes, hostís à pessoa dele. Parece que até o nome de Leonardo Boff incomoda. Chegaram a dizer que em vez comemorar aniversário, antes fosse seu necrológico, a notícia de sua morte. Absurdo.

Cabe aqui uma pergunta: por que esse ódio? Existem muitos movimentos na Igreja. CEBs, Renovação Carismática Católica, Apostolado de Oração, Legião de Maria, entre outros mais. O Espírito Santo é, sobretudo, criativo. Sopra onde quer e de acordo com a realidade de cada Comunidade, assim como cada pessoa. A liberdade de escolher onde se colocar, como orar em comunidade, faz com que possamos ser nós mesmos nos grupos que nos adequamos. Isto, sempre em acordo com o Magistério da Igreja. Não há movimento mais certo, ou mais fiel a Igreja. Há pessoas, vidas, fé, caminhada do Povo de Deus. Não podemos nos hostilizar por sermos diferentes. Por orarmos diferente. Por entender a Palavra diferente. É esta diversidade que nos enriquece.

Exorto aos irmãos e irmãs e a mim mesmo, a entender que o que nos difere é o que nos edifica. Nossa forma diferente de pensar pode nos enriquecer sempre mais do que o uniformalismo. Somos Povo de Deus que Caminha. Calçados sempre com nossa identidade. Há muitas moradas na Casa do Pai. Importa, mesmo, é que caminhemos sempre rumo ao Reino Definitivo.

Frei Abreu

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: