fb_img_1481142387405

Perguntaram-me agora porque publico em nosso blog textos de padres ditos “carismáticos”, outros textos de ditos “teólogos da liberação”, entre outros Paradoxos. A pessoa ainda disse que eu não tenho identidade e não fiz uma opção. Que eu deveria tomar o caminho da Igreja Verdadeira.

Entendo que para esta pessoa, tomar um caminho, fazer uma opção é escolher entre este ou aquele movimento da Igreja. Bem, sou Igreja. Sou frade. Animador de comunidades, liturgo (aquele que preside a liturgia). Neste sentido, já fiz uma opção. Optei por Cristo e por seu povo. E o Povo de Deus fala por muitas línguas, tem muitas culturas. A teologia boa para mim é a que me aproxima do conhecimento de Deus e de seu povo. A liturgia certa é aquela que me faz celebrar o Deus Vivo. Nada de rótulos. Nada de cismas. A Igreja é o Povo de Deus que se mostra de formas culturais diferentes, com óticas diferentes e, por isso, com hermenêuticas teológicas diferentes.

Não podemos nos ater às diferenças pois mais forte é o que nos une. E isto é o seguimento de Jesus na Caminhada do Povo. Somos todos Igreja e não podemos viver em separações deste ou daquele modelo da mesma. Bebamos da Sabedoria de Jesus: “todo Reino que se divide, se auto condena”.

Frei Abreu

Anúncios