“Na passagem do Evangelho de Mateus aparece claramente a reciprocidade, isto é, não se trata de um simples pedido de perdão por aquilo que ofende a Deus, mas um perdão que acontece entre nós, entre cada pessoa”, explicou o arcebispo de Brasília (DF) e presidente da CNBB, dom Sergio da Rocha durante homilia, na manhã desta quinta-feira, 16, na capela da CNBB.

A celebração  foi presidida por dom Sergio e concelebrada pelos membros da presidência da entidade: o arcebispo de Salvador (BA) e vice-presidente, dom Murilo Krieger; e bispo auxiliar de Brasília e secretário geral, dom Leonardo Steiner.

Na meditação do evangelho de Mateus, dom Sergio recordou os ensinamentos de Jesus sobre a importância da oração: “Quando orardes, não useis muitas palavras” (Mt 6,7-15).

“Jesus nos ensina que, antes de se voltar a Deus em oração, pedindo perdão, é preciso estar disposto a perdoar o irmão que está ao nosso lado. Ele, também, nos diz que não é possível rezar, se essa oração não fizer parte de uma caminhada de discípulo”, disse o arcebispo.

Ainda na reflexão, falou que a novidade do evangelho é chamar a Deus de Pai. “Esse modo de chamar a Deus revela um coração confiante em sua misericórdia, como uma criança que se entrega ao Pai”, sublinhou.

Dom Sergio finalizou a homilia, convidando os bispos e assessores para a prática da oração na missão que cada um assumiu. “Todos nós, dentro de nossas atividades e projetos de evangelização da Igreja no Brasil, somos chamados a vivenciar essa postura orante. Desta forma, sejamos reconhecidos como gente que reza, como Jesus ensinou, mas também, vive o que reza por meio da vida fraterna e na missão”, conclui.

Após a missa, os bispos seguiram para o auditório Dom Hélder Câmara, onde participam de reunião, que se encerra nesta quinta-feira.

 

Fonte: CNBB

 

Anúncios